O que é?

A dieta da sopa propõe perda de peso através do consumo de sopas e caldos. Nessa dieta, a sopa deve compor a maior parte ou totalmente as refeições do dia. Normalmente composta de vegetais, é uma dieta que restringe bastante as calorias e por isso pode levar a perda de peso, mas também a carências nutricionais. 

A dieta da sopa emagrece?

A perda de peso é um processo que pode ser alcançado com diferentes estratégias, no entanto, o que determina o sucesso de uma estratégia é o tempo de manutenção do peso reduzido, com saúde.

O processo de emagrecimento depende de uma série de fatores, entre eles a nutrição. Um dos principais aspectos para que ocorra emagrecimento é a ingestão de calorias menor que a necessidade e gasto calórico.

A composição da dieta, isto é, quantidade de carboidratos, proteínas e gorduras, bem como vitaminas e minerais, é importante para manter o corpo saudável ao longo do processo de emagrecimento.

No caso da dieta da sopa, ao optar por substituir as refeições por essa preparação, pode ser que as receitas auxiliem a ingestão de um valor calórico inferior às necessidades diárias, o que sim, tende a levar a perda de peso. No entanto, é importante destacar que o que leva a perda de peso é a ingestão baixa de calorias ao longo do dia, não a preparação da sopa em si. Receitas compostas apenas por vegetais, costumam a ter o mínimo de calorias, contribuindo para esse resultado, por exemplo.

No entanto, a perda de peso por essa estratégia, é alcançada pelo uso das reservas corporais para obter energia. Nesse caso, sem fonte de nutrientes, o corpo acaba usando massa muscular e desidratando. O tempo de manutenção dessa dieta, não costuma implicar em redução da massa gorda.

Além de promover uma perda de peso pouco saudável, essa perda não é sustentável. 

Como fazer a dieta da sopa?

As receitas da dieta da sopa preconizam o uso de vários legumes e verduras, especialmente o uso de repolho. Alimentos como feijão, grão de bico, lentilha e ervilha não são recomendados, assim como arroz, macarrão ou pão como acompanhamento, também são excluídos.

As refeições líquidas apresentam redução de carboidratos, proteínas e gorduras, o que continuamente leva a uma carência nutricional de vitaminas e minerais, além de calorias. Mas existem diversas variações, algumas podem incluir alimentos proteicos como carne, frango, atum, ovos mexidos ou queijos, ou ainda carboidratos como batatas ou aveia, a fim de melhorar o sabor. A recomendação de preparo dos legumes e verduras que compõe a sopa é para que sejam adicionados em pedaços picados, sem passar pelo liquidificador, para que estimule a mastigação.

Geralmente a sugestão é de substituição de duas refeições principais pelas sopas, sejam elas caseiras ou pronas, durante uma semana.

Sopas industrializadas costumam ser menos nutritivas que as caseiras e normalmente incluem aditivos químicos e alto teor de sódio, nutriente que em excesso está relacionado ao aumento da pressão arterial, complicações renais e cardiovasculares

A dieta da sopa apresenta riscos?

A busca obsessiva por emagrecer tem levado muitas pessoas a buscar dietas que prometem perda de peso rápida, sem esforço, a qualquer custo. Porém, dietas como a da sopa não garantem uma perda de peso saudável e sustentável. Dietas que restringem muito as calorias favorecem a perda de musculatura, água e eletrólitos, e pouca ou nenhuma perda de gordura corporal. O corpo entra em um estado de adaptação metabólica, poupando mais energia e diminuindo a velocidade de perda de peso. Além disso, a dieta da sopa não propõe mudanças de hábitos alimentares. Após o período definido para realização, a pessoa volta para o consumo alimentar habitual, provavelmente volta a ganhar peso, superando o inicial, e fica frustrada. A frustração pode levar a novos ciclos de dietas, sem sucesso. O hábito de realizar dieta pode desencadear complicações de saúde, incluindo transtornos alimentares. 

A restrição de calorias e carboidratos pode fazer com que a pessoa apresente sinais de fraqueza, tonturas, dores de cabeça, alterações de humor, fadiga e indisposição durante o período da dieta.

Mesmo que os legumes e verduras também sejam fontes de diversas vitaminas e minerais, a falta de equilíbrio entre carboidratos, proteínas e gorduras compromete a oferta de uma série de nutrientes essenciais para transporte de oxigênio, composição de hormônios, absorção de vitaminas, entre outras funções vitais. No caso de se optar pelo consumo de sopas industrializadas, estas são produtos que costumam apresentar um elevado teor de sódio, um nutriente que em excesso está relacionado ao aumento da pressão arterial e complicações cardiovasculares. 

Considerações finais:

Sopas são receitas que podem ser incluídas em um plano alimentar, agregar ingredientes nutricionalmente importantes e oferecer conforto para quem aprecia essa preparação. Mas substituir refeições com o intuito de restringir calorias oferece mais prejuízos do que vantagens. Além da dificuldade de manutenção da dieta da sopa, a deficiência de nutrientes e efeito sanfona promovido por esse tipo de estratégia deve ser desencorajado. Dietas não planejadas por um nutricionista até podem proporcionar perda de peso, mas não garantem equilíbrio de nutrientes necessários para as necessidades individuais, podendo acarretar em uma série de comprometimentos para a saúde.

Com objetivo de alcançar um peso sustentável, a  reeducação alimentar aliada a outros hábitos continua sendo o melhor tratamento para perda de peso gradual, com redução de gordura corporal e menor perda de massa magra. Se você tem interesse, procure avaliação de um nutricionista.

Referências:

Celeste Elvira Viggiano. DIETAS DA MODA. Universidade Municipal de São Caetano do Sul.Revista Brasileira de Ciências da Saúde, ano III, nº 12, abr/jun 2007 

Souza e Sérgio Dom. AVALIAÇÃO DE DIETAS NÃO-CONVENCIONAIS E DO USO DESTAS POR ESTUDANTES DE UMA FACULDADE PARTICULAR DE VIÇOSA-MG. Anais VII SIMPAC – Volume 7 – n. 1 – Viçosa-MG – jan. – dez. 2015 – p. 156 – 162