O que é?

Existem diversas variações da chamada “dieta do ovo cozido”.

Em uma pesquisa rápida, é possível encontrar métodos que aconselham a adição de ovos cozidos em algumas refeições, em todas as refeições ou ainda mais radicais, que aconselham o consumo de apenas três ovos cozidos ao longo de todo o dia. 

Relatos de atrizes que realizaram essa dieta parecem foram as responsáveis pela repercussão nos meios de comunicação. Mas o que as recomendações de nutrição e saúde nos dizem sobre uma dieta como essa?

Como é feita?

Algumas variações dessa dieta recomendam a adição de 1 ovo nas refeições principais, a fim de aumentar a sensação de saciedade e auxiliar a comer menos.

Já a dieta que restringe a alimentação ao consumo de apenas três ovos cozidos ao dia é a mais radical e representa um risco para a saúde. O consumo dos três ovos fornece em torno de 210 calorias para todo o dia. Para se ter uma ideia, dietas com 500 calorias já são consideradas de alto risco para desnutrição. 

A dieta do ovo auxilia no emagrecimento?

A adição de ovos visando diminuir a ingestão de outros alimentos e assim restringir calorias, leva a perda de massa muscular, água e eletrólitos – perda de peso, não de gordura, o que é diferente de emagrecimento. A perda de peso é previsível pelo deficit calórico não pelo consumo de ovo em si.

O ovo é um alimento fonte de proteínas, vitaminas do complexo B, vitaminas D, E e K, entre outros nutrientes, e pode ser muito saudável inseri-lo nas refeições cotidianas.

O teor de proteína pode sim conferir maior saciedade. Porém, restringir outros alimentos por conta disso e não planejar a oferta de nutrientes essenciais para a saúde  não é uma opção saudável para quem busca saúde, emagrecimento e manutenção do peso a longo prazo. 

Por fim, vale lembrar que dietas restritivas que não estimulam hábitos alimentares saudáveis sustentáveis levam ao ganho de peso, inclusive maior que o inicial, ao abandonar a dieta (que é previsível que aconteça em algum momento). 

Quais os riscos?

O ovo é um alimento fonte de proteínas de alto valor biológico e possui vitaminas do complexo B. No entanto, existe uma variedade muito maior de nutrientes que precisamos consumir diariamente, restringir a alimentação ao consumo apenas de ovos torna esse tipo de dieta totalmente inadequada, levando a deficiências nutricionais graves, mesmo que a curto prazo

Dores de cabeça, tonturas, náusea, fadiga, entre outras complicações, incluindo aumento do estresse, são algumas das complicações relacionadas a dietas restritivas como essa.

Considerações finais

Ainda que seja realizada por um tempo curto e determinado, a dieta do ovo é monótona, pode ser muito restritiva e normalmente não estimula a adoção de hábitos alimentares e estilo de vida saudável.

Pessoas que querem emagrecer, por motivos de saúde ou estéticos, depositando confiança em métodos que prometem resultados rápidos. Infelizmente, a prática dessas dietas pode trazer mais prejuízos, como deficiências nutricionais e má relação com a comida.

A reeducação alimentar visa adoção de hábitos saudáveis e manutenção dos resultados, para isso, cada pessoa tem suas necessidades individuais que precisam ser consideradas. Por isso, destacamos a importância de buscar apoio profissional para avaliar e acompanhar tratamentos que tem objetivos como o de emagrecimento.

Referências:

Eder e Colaboradores. Dietas e seus malefícios. UNIJUÍ, 2017.

Celeste Elvira Viggiano. DIETAS DA MODA. Universidade Municipal de São Caetano do Sul.Revista Brasileira de Ciências da Saúde, ano III, nº 12, abr/jun 2007