O que é?

A dieta Dukan é um método criado pelo médico francês Pierre Dukan que visa perda de peso. A dieta consiste em uma alimentação reduzida em calorias, que restringe alimentos fonte de carboidratos enquanto libera o consumo de gorduras e proteínas. O método inclui diferentes fases e uma lista de alimentos permitidos. Sua manutenção é difícil e pode levar, além de frustrações, as complicações de saúde.

A dieta Dukan funciona para perder peso?

Segundo a Associação Brasileira de Estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO, 2016), a perda de peso promovida por dietas ricas em gorduras, proteínas e pobres em carboidratos ocorre principalmente em razão da menor ingestão de calorias e não somente da composição desses macronutrientes.

A dieta Dukan tem um prognóstico de manutenção da perda de peso considerado ruim. Em média, apenas 5% das pessoas que passam por um processo de emagrecimento conseguem impedir o reganho de peso ao final de 5 anos. Esse efeito de perda e reganho, conhecido também como “efeito sanfona” ou efeito “iô-iô” provocado diversas vezes ao longo da vida é bastante prejudicial para a nossa saúde. Além das adaptações que ocorrem naturalmente em nosso corpo para poupar mais energia, aspectos comportamentais também tornam a adoção dessa dieta insustentável a longo prazo.

Dietas com restrição de carboidratos sem orientação e acompanhamento profissional individualizado podem ocasionar diversos problemas para a saúde. A adaptação do organismo para obter energia de outra fonte, já que foi restringido da fonte de carboidrato, pode levar a degradação de reservas relacionadas à diminuição da água corporal. A perda de água e eletrólitos pode representar perda de peso naquele número da balança, mas não de gordura. Normalmente, com a retomada do consumo de carboidratos, que é prevista em algum momento, o peso é recuperado rapidamente.

Além disso, perda de peso é diferente de emagrecimento. Ainda no processo de emagrecimento, é importante garantir as recomendações mínimas de energia e nutrientes a fim de prevenir perda de massa magra, desidratação e outros danos à saúde. Ao comparar a dieta Dukan com recomendações nutricionais bem consolidadas da Organização Mundial da Saúde, esse método não atende às necessidades de nutrientes recomendadas para população em geral. Outro ponto, na dieta Dukan não existe indicação do uso de suplementos para suprir a necessidade de micronutrientes, o que também pode indicar negligência com as deficiências previstas.

 A perda de peso é um processo que pode ser alcançado com diferentes estratégias, no entanto, o que determina o sucesso de uma estratégia é o tempo de manutenção do peso reduzido, com saúde.

Quais são as fases da dieta Dukan?

A dieta é dividida em quatro fases, sendo elas conhecidas como:

  • Fase do ataque com duração de sete dias corridos;
  • Fase do cruzeiro com duração até que a perda de peso seja alcançada;
  • Fase da consolidação com duração de dez dias de consolidação por quilo perdido nas outras fases;
  • E por último, a fase da estabilidade por um período de tempo indeterminado. Essa fase ainda impõe um dia da semana para o consumo apenas de proteína.

A dieta Dukan apresenta algum risco?

A dieta Dukan não apresenta benefícios para a saúde, ao contrário, os riscos são diversos.

A adesão a dietas que estão circulando em meios de comunicação sem os devidos fundamentos científicos pode levar a frustrações e prejuízos à saúde por conta do consumo elevado ou insuficiente de nutrientes.

O consumo restrito de calorias e carboidratos, alta ingestão de proteínas e gorduras, e deficiência de vitaminas e minerais pode levar ao surgimento ou agravamento de complicações de saúde tais como: anemia; acidente vascular cerebral; cirrose hepática; colesterol elevado; cálculo biliar; complicações cardiovasculares; câncer de cólon; dislipidemias; diminuição do débito cardíaco; diminuição da frequência cardíaca; diminuição da pressão arterial; diminuição da imunidade; desmineralização óssea; desequilíbrio no funcionamento do organismo; doença arterial coronariana; diabetes mellitus; hipertensão; osteoporose; obesidade; perda de potássio; sobrecarga do fígado; sobrecarga renal.

Conclusão

A dieta Dukan não atende recomendações nutricionais preconizadas por Organizações consolidadas de saúde. Essa dieta também não demonstra bons resultados para o processo de perda de peso.

Fazer restrições alimentares sem orientação e acompanhamento de profissional não é recomendado para nenhuma pessoa. Inclusive, algumas pessoas podem estar mais predispostas a complicações graves por conta de restrições ou excessos que uma  dieta como essa promove. 

Para uma ingestão de calorias e nutrientes adequadas, é preciso considerar as necessidades energéticas individuais. É preciso também considerar preferências, disponibilidade, aspectos sociais e culturais da alimentação, para então elaborar um plano de alimentação equilibrada e saudável, sustentável a longo prazo que atenda aos objetivos reais.

BRAZ, Thayanne Silva. Análise nutricional das dietas do dr. Atkins e dr. Dukan. 2017. 20 f. Artigo (Graduação) – Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2017.