Segundo o Ministério da Saúde, o número de obesos brasileiros aumentou 67,8% entre os períodos de 2006 a 2018, sendo maior em adultos de 25 a 44 anos.

O sistema de Vigilância de Fatores de Risco para Doenças Crônicas Por Inquérito Telefônico (Vigitel), apontou que mais da metade da população brasileira (55,7%)  está acima do peso.

Por causa disso e pela conscientização da saúde, muitos brasileiros e brasileiras estão adotando um estilo de vida mais saudável, realizando reeducações alimentares, prática de exercícios e até mesmo o uso de fitoterápicos como método de auxiliar no emagrecimento, principalmente nas faixas etárias de 35 a 44 anos.

A combinação entre alimentação saudável e exercícios vem se mostrando muito benéfica à saúde, pois diminui o risco de doenças como diabetes, colesterol alto, hipertensão, cardiopatias, entre outros.

Uma das opções utilizadas é a Faseolamina. Quer saber mais sobre ela? É só acompanhar nosso artigo.

Mas afinal de contas, o que é a Faseolamina?

Feijão branco na tigela e na colher

            A Faseolamina (Phaseolus vulgaris L.) é uma glicoproteína – tipo de proteína que possui um carboidrato ligado à ela – extraída do feijão.

Ela funciona como uma inibidora da alfa-amilase humana, que é mais conhecida como “bloqueadora de amido”, enzima que está presente em nossa saliva e é sintetizada e liberada através do pâncreas quando ingerimos algum tipo de carboidrato (igualzinho aquele pãozinho que você comeu no café da manhã) ou seja, ela inibe a ação da transformação do amido (carboidrato) em glicose, impedindo-o de ser convertido em açúcar, diminuindo assim a taxa do mesmo no sangue.

Com a inibição da alfa-amilase, os amidos não são digeridos e são enviados diretamente ao intestino, onde são eliminados através das fezes.

Ela vem sendo muito prescrita por médicos em casos de tratamentos para emagrecimento e em indivíduos que possuem diabetes mellitus tipo 2, por seu grande poder hipoglicemiante.

            Segundo Pereira (2008, p.1) “O uso de medicamentos deve sempre visar o auxílio no processo de mudança de estilo de vida e facilitar a adaptação às mudanças dietéticas”, isso independentemente de ser um fitoterápico ou não.

Lembrando que as opções fitoterápicas – à base de extratos vegetais – como a Faseolamina, não possuem tantos efeitos colaterais como um fármaco comum, havendo necessidade de orientação e prescrição médica e/ou de um nutricionista para sua utilização, bem como uma reeducação alimentar e prática de exercícios físicos em conjunto.

            Há muitos artigos que descrevem que os brasileiros não estão consumindo as quantidades recomendadas de feijão por dia, seja pelo aumento do mesmo nos supermercados ou pelo tempo que ele demora para cozinhar.

A falta do consumo dele pode estar associado ao aumento significativo da obesidade na população nos últimos anos.

Segundo JAIME e colaboradores (2015, pg 268), adicionar regularmente feijão na dieta auxilia nos padrões de vida saudável, podendo melhorar a quantidade de micronutrientes que nosso corpo necessita, bem como o teor de fibras, controle do peso corporal e redução da pressão arterial.

Faseolamina Emagrece?

Embalagem do remédio Faseolamina em cápsulas

            Como vimos, um dos principais benefícios da Faseolamina é no auxílio do emagrecimento para indivíduos que estão acima do peso e tratamento de diabetes mellitus tipo 2.

Outros tipos de benefícios são:

  • Melhora da qualidade de vida;
  • Efeito hipocolesterolêmico;
  • Efeito hipoglicêmico;
  • Por conter fibras, auxilia no funcionamento do intestino;
  • Possui macronutrientes e micronutrientes que auxilia na homeostase corpórea (ferro, vitaminas do complexo B e proteínas).

Como tomar este fitoterápico?

            Segundo COLAÇO e DEGÁSPARI (2014, pg 107), a Faseolamina é comercializada no Brasil na forma de cápsulas.

Elas podem ser manipuladas em farmácias de manipulação ou encontradas em farmácias e lojas de suplementos alimentares.

Sua posologia é de 1.000 mg/dia e é recomenda a ingestão de duas cápsulas de 500 mg, sendo uma 30 minutos antes do almoço e outra 30 minutos antes do jantar.

Contraindicações, Toxicidade e Efeitos Colaterais

            A Faseolamina é contraindicada para mulheres gestantes e indivíduos insulino dependentes.

Há alguns casos em que a Faseolamina pode causar diarréias, principalmente se for o primeiro dia de uso ou se houver abuso da mesma (superdose) em dietas que contenham apenas amido.

Vale lembrar que qualquer tipo de substância que bloqueia a degradação de carboidratos pode causar flatulências, dores abdominais, náuseas, dores de cabeça, inchaço e outros efeitos colaterais.

Possui autorização da ANVISA?

            O uso da Faseolamina (fitoterápico*) é liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), havendo trabalhos científicos que comprovam sua eficácia, doses, efeitos colaterais, entre outros.

Estes estudos científicos foram descritos a partir de análises humanas e de animais.

* Segundo o site da Anvisa, são considerados medicamentos fitoterápicos todos aqueles obtidos através de matérias-primas dos vegetais ou seja, aqueles preparados exclusivamente a partir de partes de plantas medicinais como cascas, raízes, sementes, flores e frutos, que contenham propriedades reconhecidas por sua prevenção, diagnósticos e até mesmo tratamento de doenças.

Estão excluídos os medicamentos que possuem natureza sintética, substâncias ativas isoladas ou naturais, muito menos a associação destas com extratos vegetais.

Comprovando a sua eficácia

            Há trabalhos científicos que comprovam a eficiência do emagrecimento em indivíduos com sobrepeso e obesos.

  • O estudo realizado por CELLENO e colaboradores (2007), demonstrou que houve redução no IMC e tecido adiposo de 60 participantes com sobrepeso, que receberam uma dieta hiperglicídica (Faseolamina). Em indivíduos com sobrepeso, com uma dieta rica em carboidratos (2.000 – 2.200 Kcal), houve significante perda de peso em 30 dias;
  • Um estudo realizado por PEREIRA (2008) com camundongos por 24 dias (1g/70/kg/dia), indicou que a Faseolamina não interferia no processo de crescimento dos mesmos e não causou efeitos deletérios;
  • O estudo realizado por UDANI, HARDI e MADSEN (2004) demonstrou que, em indivíduos com sobrepeso, houve uma considerável diminuição do peso corporal, bem como nos níveis séricos de triglicérides;
  • Um estudo realizado por GANESAN e XU (2017) demonstrou a eficácia dietética dos feijões comuns (Phaseolus vulgaris L.), sendo potentes antioxidantes, antidiabéticos, antiobesidade, anti-inflamatórios, antimutagênicos e anticarcinogênicos;
  • O estudo realizado por NEIL e colaboradores (2019) demonstrou, a partir de estudos com ratos, que o consumo de feijão comum (Phaseolus vulgaris L.) reduz o acúmulo de tecido adiposo em machos e fêmeas, possuindo efeito anti obesogênico.

            Estudos demonstram que a Faseolamina (1g/dia) associada a exercícios físicos regulares pode auxiliar na perda de até dois quilos por semana.

Precisa haver uma regularidade nos exercícios, dieta balanceada e ingestão de água suficiente diária (mais de dois litros) para que isso aconteça.

Preço médio da Faseolamina

            O valor da Faseolamina pode variar entre laboratório de manipulação, farmácias e lojas de produtos naturais.

Isso envolve quantidade das cápsulas e produto, sendo entre R$ 28,00 a R$ 70,00.

Há farmácias de manipulação que vendem a mesma por aproximadamente R$ 95,00, com 120 cápsulas e 500 mg.

Conclusão

            A Faseolamina é uma glicoproteína extraída do feijão que auxilia no emagrecimento e no tratamento de indivíduos com diabetes mellitus tipo 2.

Ela funciona como uma inibidora da alfa-amilase, inibindo a transformação do amido em glicose, fazendo com que o carboidrato ingerido não seja digerido, sendo enviado diretamente ao intestino para ser eliminado através das fezes.

Há trabalhos científicos que comprovam a ação de emagrecimento em indivíduos com sobrepeso, bem como sua ação benéfica aos indivíduos diabéticos.

Com doses diárias de até 1 g, o indivíduo que está acima do peso poderá observar bons resultados, em conjunto com exercícios físicos regulares, uma boa alimentação e ingestão de água.

Espero que você tenha gostado deste artigo. Nos vemos no próximo!

Fontes:

  1. https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45612-brasileiros-atingem-maior-indice-de-obesidade-nos-ultimos-treze-anos
  2. http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v24n2/v24n2a09.pdf
  3. https://fabenol.com.br/site/artigos/1.pdf
  4. https://revistas.ufpr.br/academica/article/view/36501/22499
  5. https://dermomanipulacoes.vteximg.com.br/arquivos/Faseolamina.pdf
  6. http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de-busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=352238&_101_type=content&_101_groupId=33836&_101_urlTitle=medicamentos-fitoterapicos&inheritRedirect=true
  7. http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/rdc0042_29_08_2013.pdf/c5a17d2d-a415-4330-90db-66b3f35d9fbd
  8. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1796956/pdf/ijmsv04p0045.pdf
  9. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/15005645/
  10. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5713300/
  11. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31731665/
  12. https://www.agazeta.com.br/revista-ag/vida/faseolamina-a-substancia-que-engana-o-corpo-e-ajuda-a-emagrecer-0819